You are currently browsing the tag archive for the ‘Música’ tag.

Ë isso ae pessoal! Dia 4 tem Lual Berimbau, musica gratis pra todos, é só baixar! Vou criando os links no blog musicagratis.eai.fm Demorô! Saca esse vídeo do nosso amigo Adrian do Curimba! Esse lual vai ser demais! Tamo la!

Anúncios

Estamos acontecendo, chat ativado no eai.fm quem quiser dar palpite no design, perguntar qualquer coisa ou só dar um alô fique avontade! Dessa vez não tem desculpa de que tem que fazer login hein, só escreve o nome e a mensagem… Vamos agitando….

Se segure mundo, estamos nos mexendo, e remexendo muito, afinal a arte de mexer vem desde os tempos da pedra lascada, todo mundo mexia né e sacudia! Então sacudãmo-nos e vamos em frente. http://www.eai.fm soon my friends!

Óntem pude vislumbar uma situação sem precedentes em CG, três baladas com bandas muito boas na mesma night!  Rolou curimba, samba de  prima e vinil na Em busca da batida perfeita, depois Haicais e também curimba no Barbaqua e ainda teve Deletrônica no Sis e Grass no 21…. Assim dá pra começar á gostar da night de Campão! Possibilidades de mudança no ar….

Demo 2009

Demo 2009

Baixar aqui!

R4f4 Rajal

R4f4 Rajal

Palco onde tenho feito meus shows no Second Life, muito legal, tem sido incrível tocar no jogo.

Estou usando agora também o serviço do blogger para divulgar meu trabalho, quem quiser comfirir meu novo blog de divulgação clique aqui. o endereço é rafa-coelho.blogspot.com

A coisa girando a toda

todo no agora que gira

é a imagem pela coisa

que roda a toda agora.

 

Rodando em volta

a toda velocidade

espaço encadeando

a própria ilocalidade.

 

Pelo arremesso

da função

com a queda

sem correção.

 

Pela espinha

através do choque

na experiência

do sensor.

 

Sem censura.

Marcada para as 20:00 a transmissão do meu primeiro show ao vivo na justin.tv/tela jah começo mandano um videozinho caseiro e fazendo aslgumas passagens de som pra quem quiser olhar pode confErir! http://www.justin.tv/tela

Ficando pronta!

Gravação em que ando fritando meus nervos….

Vai Lenine… Labiata!

Tocando

Tocando

Um festival de jazz
perdido por segundos
entre uma masmorra
e um quartel de pregos.

Numa caminhada febril
sinônimos descontrolados
contemplando adjetivos
criando casos a torto.

Num escondidinho
uma beterraba crua
por um pepino malcriado.

Numa hortaliça
desejos de repolho
em uma gemada maliciosa.

Aprendendo o preso
se liberta da prisão
do ventre da sabedoria
do ser e da utopia.

Preso na marginal
da chuva.

Transito entre a
confusão do centro
que me irrita
a vista, concreta.

O asfalto morno
hipnotiza
o fluxo.

o impulso
se realiza
em pane.

Síndrome do pânico.

Uma cafungada úmida
numa rebarba esculachada
enxovalhos monumentais
de perseguir em viés.

Por dentro da figura
uma desagregação
valendo rendas
de cortar furo.

No movimento de impacto
uma lembrança vaga retilínea
em reflexões tortuosas cinza.

No baticum da rebordosa
uma figura coerente
pintada de retângulos.

Enjoy the mangomen song, of mine….

by r4f4

Como um pensamento comum
compartilhado com muitos
simultaneamente em som

Existem muitas possibilidades de definição de música, mas ainda assim é difícil enjaular a questão em uma definição simples, as perspectivas sobre o assunto podem variar imensamente, podendo ser técnicas, artísticas ou sociais e por aí vai; música do intrumentista, música do compositor, música de canção, música de cantor, música poética, música racional, rítmica, das alturas ou das esferas. Sem dúvida a melhor referência que tive sobre a teoria foi Miguel Wisnick, em Som e o Sentido, pela pluralidade de perspectivas justamente, ele fala das músicas, e não da música. Ainda sim quando pego um instrumento e começo a fazer música, tudo acontece e é sempre um experiência nova, tocar uma peça ensaiada, improvisar, compor, batucar; são muitos caminhos, todos muito diferentes, para cada rota musical existe uma enorme gama de ferramentas que podem ser utilizadas: a escrita, o metrônomo, a gravação, o sintetizador, são muitas formas de se abordar o som. Como artista agente quer se expressar, possivelmente de novas maneiras, então me pergunto se a melhor maneira de chegar a essa nova forma de expressar seria através da teoria clássica da música, se esse caminho enrriquece a consciência músical, ou se ele a molda de forma que os novos caminhos da expressão fiquem menos óbvios enquanto os caminhos já percorridos brilham em neon?