You are currently browsing the tag archive for the ‘poesia massa’ tag.

Pelo canto sem trapaa
prato e calhamao vai
desponta e gruda o p
seco no grito guardado.

Arrepia suando a frio
pulsa na mnima frao
no desenho do traado
na descida sutil corrida.

Resto pelos outros
pelo mesmo
por fim…

Anúncios
Anúncios